2 de junho de 2021

Gravidez gemelar na reprodução assistida

Gravidez gemelar é recorrente num tratamento de reprodução assistida?

Essa pode ser uma dúvida comum entre quem procura uma clínica de reprodução humana para tentar a gestação. No entanto, é preciso esclarecer que o Centro de Reprodução Humana de Piracicaba, objetiva que a paciente tenha uma gravidez o mais natural possível. Isso significa ser, preferencialmente, de um único filho, pois, assim, evita-se os riscos envolvidos numa gestação gemelar. Além da evolução das técnicas da medicina reprodutiva, entretanto, há, inclusive, um consenso entre os especialistas da área com relação à transferência embrionária com o objetivo de minimizar a chance de isso ocorrer.

Por que a gravidez gemelar acontece?

O Dr. Paulo Arthur Padovani, diretor do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba, explica que a gravidez gemelar tem uma relação com o número de embriões recebidos pela paciente durante a transferência embrionária. Entretanto, ela pode ocorrer mesmo nos casos em que apenas um embrião é transferido para o útero. Isso acontece porque o próprio embrião pode se dividir depois da transferência. Resultando, portanto, em gêmeos idênticos.

“Quando se transfere um embrião [numa paciente] abaixo dos 35 anos, você tem em torno de 25 a 30% de possibilidade de conseguir a gravidez e vai ter menos de 1% de hipótese de ter gêmeos”, explica ele.

Entretanto, se uma paciente, abaixo dos 35 anos, receber a transferência de dois embriões, o êxito do procedimento fica em torno de 45%. A possibilidade de gestação múltipla, por sua vez, gira em torno de 6% desse total.

Já se a transferência for de três embriões, a taxa de sucesso é de 47% (e 15% de possibilidade de gravidez gemelar). Um aumento, portanto, considerável.

Como e por que evitar a gravidez gemelar?

Devido à porcentagem mencionada acima, tanto o CRHP como as demais clínicas de reprodução assistida, não fazem a transferência de mais de dois embriões em pacientes abaixo dos 35 anos.

“O nosso objetivo, no CRHP, é diminuir a gestação múltipla. Isso porque uma gestação gemelar traz mais riscos que uma gestação única, implicando em trabalho de parto prematuro e outras patologias”, conclui o médico.

O Centro de Reprodução Humana de Piracicaba está instalado no Hospital Santa Isabel, graças a uma parceria com a Santa Casa de Piracicaba.

Jornalista responsável: Arlete Maria Antunes de Moraes. MTB 0084412/SP

Dr. Paulo Arthur Machado Padovani
Dr. Paulo Arthur Machado Padovani

Dr. Paulo Arthur Machado Padovani

Ginecologista | CRM 39.536
  • Formado pela Faculdade de Medicina de Jundiaí
  • Pós-graduado lato-sensu pela Faculdade de Medicina de Jundiaí e Associação Instituto Sapientiae
  • Especialista em ginecologia e obstetrícia, e habilitação em laparoscopia
  • Membro efetivo da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida
  • Possui título de Capacitação em Reprodução Assistida emitido pela Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida
Saiba mais