21 de outubro de 2015

Quais as causas da infertilidade feminina?

O sonho de ter filhos muitas vezes se esbarra em empecilhos que podem ser solucionados, de forma tranquila, com a ajuda da medicina. No caso das mulheres, quais os problemas mais comuns que causam infertilidade?

A ginecologista Milena Elisa Goes Dias Silva, da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba, informa que endometriose, mioma e síndrome dos ovários policísticos são as causas mais comuns e podem ser resolvidas com o auxílio de especialistas na área de reprodução humana.

No Brasil, mais de 6 milhões de pacientes têm endometriose, doença que atinge mais de 10% das mulheres que estão em idade reprodutiva e que pode obstruir as trompas, causando infertilidade. “Cólicas muito fortes podem sinalizar para o problema e o diagnóstico de um profissional é imprescindível para que o tratamento seja iniciado o quanto antes”, declara a ginecologista.

“O mioma é um tumor benigno composto basicamente de músculo uterino que cresce dentro ou fora do útero e pode alterar o formato do órgão à medida que se desenvolve”, afirma a ginecologista, destacando que o problema é quando os miomas estão muito perto do endométrio, onde podem romper e provocar sangramento no intervalo das menstruações, ou quando são grandes, fecham a cavidade uterina e não dão passagem para o óvulo fecundado, provocando a infertilidade.

“Neste caso, o problema pode ser resolvido com técnicas que vão da histeroscopia – procedimento que retira os miomas por via vaginal -, laparoscopia – feita através de pequenas incisões no abdômen-, até a cirurgia convencional – laparotomia, quando há miomas muito grandes”, declara.

A Síndrome dos Ovários Policístico, que afeta 20% das mulheres na fase de vida reprodutiva, é um distúrbio que interfere no processo normal de ovulação em virtude de desequilíbrio hormonal que leva à formação de cistos, informa a ginecologista, acrescentando que a portadora da síndrome ovula com menor freqüência e tem ciclos, em geral, irregulares. O tratamento, segundo a especialista, é feito com medicações, definidas pelo ginecologista.

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação


DRA. MILENA ELISA GOES DIAS SILVA

Ginecologista | CRM/SP 141.626

• Formada pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
• Pós-graduação em infertilidade e reprodução humana pela Faculdade de Ciências médicas da Santa Casa de São Paulo/Projeto Alfa