15 de janeiro de 2021

Radiofrequência: técnica inovadora trata miomas uterinos

A equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba (CRHP) realizou, em 29 de dezembro, a primeira cirurgia de ablação de miomas uterinos por radiofrequência do interior. No estado de São Paulo essa foi a terceira vez que o procedimento foi realizado. Antes de Piracicaba, apenas na cidade de São Paulo a técnica já havia sido utilizada. A paciente, uma mulher de 44 anos, teve alta apenas 3 horas após a realização da cirurgia e apresentou boa recuperação.

O CRHP fica localizado em uma área de mais de 500 metros dentro do Hospital Santa Isabel, graças a uma parceria com a Santa Casa de Piracicaba. A clínica conta com uma estrutura laboratorial completa. Há centro cirúrgico, área destinada ao congelamento de sêmen, óvulos e embriões e espaço para coleta de espermatozoides. Além disso, conta também com dois apartamentos exclusivos e sala com equipamento de ultrassom.

A integração da técnica ao escopo de procedimentos oferecidos pelo CRHP, resulta do esforço constante da equipe em oferecer as melhores práticas ginecológicas para o tratamento de doenças relacionadas. Além de ser minimamente invasiva e, consequentemente, proporcionar rápida recuperação, a técnica vai contribuir não só na resposta à sintomatologia, como também em outros aspectos que envolvem o tratamento de miomas.

“Basicamente, o motivo principal de trazer esse procedimento para o Centro, foi a vontade das pacientes em ter direito de permanecer com seu útero perante uma enfermidade benigna como são os miomas, e dar alívio às dores e fluxos aumentados enfrentados por elas”.

A declaração é do ginecologista Dr. Paulo Arthur Machado Padovani (CRM 39.536). Ele é diretor e integra o time de especialistas em reprodução assistida da clínica.

O que é ablação de miomas uterinos por radiofrequência?

A radiofrequência é uma técnica inovadora minimamente invasiva muito utilizada na radiologia intervencionista para tratamento de tumores (fígado, tiroide, pulmão). Além desses protocolos, ela vem sendo indicada também para o tratamento de miomas uterinos. Para realizá-la, a paciente permanece internada por curto período, sendo submetida à um procedimento anestésico de baixa complexidade (sedação ou raquianestesia). Por se tratar de um processo simples, as altas costumam ocorrer em torno de três horas após o fim da cirurgia, sem que se precise, portanto, de internação prolongada. Assim, ela pode retornar com mais brevidade às suas atividades profissionais (cerca de 3 a 4 dias depois).

Como funciona a radiofrequência?

Na ablação de miomas por radiofrequência não são feitos cortes. A técnica consiste em localizar o mioma por meio de uma sonda transvaginal. Trata-se do mesmo equipamento com que se realiza um ultrassom transvaginal normal. Ligada à essa sonda é adaptado um guia. Este, orienta a passagem de uma agulha especial, que fica conectada a um gerador de energia. Então, quando se localiza o mioma, a agulha é introduzida para cauterização por radiofrequência. Por fim, no pós-operatório, em caso de dor, são indicados analgésicos comuns como os usados para cólica menstrual.

Para quais tipos de miomas a radiofrequência é indicada?

Não são todos os tipos de pacientes que podem se beneficiar da técnica. Com base nos estudos iniciais feitos no Brasil e Espanha, recomenda-se a sua utilização para aquelas com até 5 miomas e com tamanho até 8 cm. Além disso, há outro fator a ser considerado. Isto é, a localização deles no útero. Sendo assim, pode-se utilizar esse protocolo de tratamento nos casos classificados pela Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia (FIGO) como 2, 3, 4, 2-5 e 8. Estes são, contudo, os que apresentam mais sintomatologia. No caso dos demais, portanto, é necessário tratar por outra técnica ou via.

Como saber se posso fazer o tratamento com radiofrequência?

Primeiramente, para saber se o procedimento é indicado para o seu caso, a paciente precisa passar por uma avaliação médica. O contato pode ser feito através do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba.

Por se tratar de um procedimento novo no Brasil, estudos ainda seguem sendo realizados sobre o método. Futuramente, a equipe vislumbra, por exemplo, a possibilidade que esta possa ser uma alternativa para os tratamentos de infertilidade relacionados à miomas entre aquelas pacientes que desejam preservar o útero para uma futura gravidez.

Inicialmente, no entanto, o método é realizado somente em pacientes com as especificações acima e que já têm prole constituída. E, além disso, que, devido à gravidade dos sintomas, necessitariam de uma histerectomia (retirada do útero), mas buscam por um método de baixa complexidade e muito pouca morbidade, que possa evitar esse desfecho.

Jornalista responsável: Arlete Maria Antunes de Moraes. MTB 0084412/SP.

Dr. Paulo Arthur Machado Padovani
Dr. Paulo Arthur Machado Padovani

Dr. Paulo Arthur Machado Padovani

Ginecologista | CRM 39.536
  • Formado pela Faculdade de Medicina de Jundiaí
  • Pós-graduado lato-sensu pela Faculdade de Medicina de Jundiaí e Associação Instituto Sapientiae
  • Especialista em ginecologia e obstetrícia, e habilitação em laparoscopia
  • Membro efetivo da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida
  • Possui título de Capacitação em Reprodução Assistida emitido pela Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida
Saiba mais