23 de outubro de 2020

Modificações epigenéticas e hábitos saudáveis

As modificações epigenéticas são a capacidade que o organismo humano tem de “ativar” ou “desativar” os genes. Isso se dá de acordo com o estilo de vida que levamos. E acontece sem que a estrutura do nosso DNA seja alterada. Esse processo é chamado de “imprinting genético” ou “imprinting genômico”.  E são essas ativações as responsáveis pela formação das nossas primeiras características. Ou seja, aquelas formadas quando ainda somos embriões (óvulos fertilizados por um espermatozoide).

Essas modificações acontecem devido aos estímulos que recebemos do ambiente. Numa gestação esse ambiente é o útero em que o embrião está se desenvolvendo. Por isso, a importância de a mãe manter hábitos saudáveis, especialmente, ao falarmos de reprodução assistida. Para entender melhor essa equação é importante compreender como ocorre a formação das nossas características.

Modificações epigenéticas influenciam nosso desenvolvimento

Os nossos genes, que formam o DNA, carregam as informações sobre quem somos. Eles são os responsáveis por dar os comandos para as células definirem características que vão desde a cor dos olhos até o funcionamento de órgãos. Além disso, influenciam a propensão a doenças como, por exemplo, câncer ou diabetes.

O termo epigenética resulta da junção das palavras epi (acima) + genética. Sendo assim, ele faz referência às características que vão além da genética.

Por muito tempo acreditou-se que o nosso código genético seria responsável por determinar 100% do que somos. No entanto, hoje já se sabe que essa relação é bem mais complexa.

O ginecologista Dr. José Higino Ribeiro dos Santos Jr. (CRM 80.719), explica que, do  ponto de vista da epigenética, é possível dizer que o nosso estilo de vida influencia sim nossos genes, podendo até transformá-los.

O especialista integra a equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba (CRHP) e, reforça, nesse sentido, a importância de fatores como idade e qualidade de vida para quem deseja ser mãe, seja usando o seu próprio material genético ou optando pela doação de óvulos e de embriões.

Modificações epigenéticas na doação de óvulos

Como amplamente divulgado, hábitos saudáveis são fatores essenciais para manutenção ou melhora da saúde. E, consequentemente, da nossa qualidade de vida.

Para quem deseja engravidar, além disso, a idade é um fator de grande importância. E isso se aplica a aqueles que o pretendem com ou sem um tratamento de reprodução assistida e utilizando ou não seu próprio material genético.

No caso da doação de óvulos, o corpo da mulher que vai gestar também vai influenciar as características do feto.

Portanto, não é apenas o DNA formado pela fecundação do óvulo pelo espermatozoide do parceiro dessa mulher que determinará as características do embrião.

É a epigenética agindo, apesar de haver uma minuciosa seleção para escolher a doadora, que leva em conta suas características físicas, tipo sanguíneo etc.

O Centro de Reprodução Humana de Piracicaba está instalado no Hospital Santa Isabel, graças a uma parceria com a Santa Casa de Piracicaba.

Jornalista responsável: Arlete Maria Antunes de Moraes. MTB 0084412/SP.

Dr. José Higino Ribeiro dos Santos Jr.
Dr. José Higino Ribeiro dos Santos Jr.

Dr. José Higino Ribeiro dos Santos Jr.

Ginecologista | CRM 80.719
  • Formado em Medicina pela Unicamp
  • Especialista em videolasparocopia e videohisteroscopia pela Febrasgo
  • Residência médica especializada em reprodução humana assistida e Endoscopia ginecológica pela Unicamp.
Saiba mais