2 de outubro de 2020

Infertilidade masculina: tratamentos para ser pai

O desejo de ser pai pode esbarrar em muitas dificuldades quando falamos de um quadro de infertilidade masculina. Felizmente, há tratamentos. E, através de um bom diagnóstico, é possível identificar o melhor procedimento para solucionar cada caso.

Segundo o Dr. Gustavo de Mendonça Borges (CRM/SP 94.121), o tratamento pode ser clínico, cirúrgico ou utilizar técnicas de reprodução humana. A definição vai depender da causa do problema.

Borges é urologista e especialista em reprodução assistida e integra a equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba (CRHP).

Quais situações podem ser tratadas clinicamente?

Quando a infertilidade é causada por alterações hormonais, a reposição de hormônios ou tratamentos que regulem essa produção, podem resolver o problema de infertilidade.

Quando existe o uso de medicamentos “tóxicos” para os testículos, é possível a suspensão, substituição ou ajuste de dose da medicação. Isso pode melhorar a fertilidade em boa parte dos casos.

O consumo exagerado de bebidas alcoólicas e o uso de drogas ou anabolizantes são outros vilões da fertilidade, bem como a obesidade e o sedentarismo.

Interromper o uso dessas substâncias, realizar atividades físicas e comer de maneira saudável são exemplos que podem solucionar o problema.

Varicocele: principal causa de infertilidade

De acordo com o especialista do CRHP, a varicocele é a causa mais comum de infertilidade masculina.

“Em cerca de 50% dos homens inférteis, a condição é produzida pela existência de varicocele”, diz.

Essa condição é caracterizada pela dilatação das veias testiculares (plexo pampiniforme) que ficam logo acima dos testículos, ainda na bolsa escrotal.

Como resultado, a drenagem sanguínea dos testículos fica mais lenta. Com isso, a oxigenação diminui e há o aumento da temperatura, com consequente diminuição da produção de espermatozoides. O problema pode atingir um ou os dois testículos.

“Mesmo que as varizes estejam presentes em um lado apenas, já podem produzir alteração suficiente para que o homem não consiga ter filhos”, explica o Dr.

Quando há varizes, não há outras causas clínicas e o resultado do exame laboratorial que analisa a qualidade do sêmen está alterado, há a indicação de cirurgia.

O procedimento é simples: através de uma incisão na virilha é feita a retirada das veias que estão dilatadas e, portanto, o fluxo de sangue volta ao normal.

A infertilidade masculina tem cura instantânea?

O tratamento para essas causas de infertilidade não tem resposta imediata e o paciente pode demorar de seis meses a um ano para apresentar melhora na produção dos espermatozoides.

Além disso, não há garantias de que os tratamentos, tanto clínicos como cirúrgicos, apresentem uma resposta definitiva para a infertilidade.

Entre os pacientes com disfunção hormonal, por exemplo, 80% apresentam um resultado positivo com relação à fertilidade. No entanto, mesmo nessa porcentagem, haverá aqueles que não conseguirão engravidar as suas parceiras.

“Há vários homens com o espermograma [exame que analisa a qualidade do sêmen] normal e mulheres também com condições normais que não engravidam. São pacientes com Esterilidade sem Causa Aparente”, completa.

No caso da varicocele a porcentagem daqueles que conseguem ter uma gravidez espontânea após a cirurgia é de 50%. A vasectomia, cuja a consequência é se tornar infértil, também pode ser tratada de forma cirúrgica. As taxas de sucesso chegam a 90%.

Quando recorrer à reprodução assistida?

As causas citadas até aqui correspondem a 90% dos casos de infertilidade entre homens. Quando o paciente apresenta alguma alteração importante no sêmen e a causa não é identificada, é até possível tentar estimulação com medicamentos. A resposta, contudo, geralmente, não é promissora.

Nesse sentido, homens com alterações graves que não tiveram resposta com tratamentos e cirurgias ou que mesmo tendo melhora na produção de espermatozoides, não conseguiram a gravidez, podem recorrer à reprodução assistida.

Os tratamentos indicados são Inseminação Intrauterina e a Fertilização in Vitro (FIV). Esta última divide-se no procedimento clássico e na injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI), que vem sendo cada vez mais utilizada pelos especialistas da área.

Na FIV convencional os espermatozoides precisam alcançar e perfurar sozinhos os óvulos para fertilizá-los. O procedimento ocorre em laboratório e o embrião formado é transferido posteriormente para o útero da paciente. Com a ICSI, no entanto, o espermatozoide é injetado dentro do óvulo com uma agulha de alta precisão.

“Então você consegue a fertilização de óvulos que às vezes não seriam fertilizados só deixando o espermatozoide em contato com o óvulo. Tem pacientes que têm espermatozoides ruins, mais lentos, mais frágeis, que não vão conseguir penetrar no óvulo espontaneamente”.

Todas as causas de infertilidade masculina são conhecidas?

Em 30% dos pacientes que têm o espermograma alterado as causas de infertilidade não são identificadas. Nesses casos, os exames clínicos não apontam nenhum problema. A Esterilidade sem Causa Aparente (ESCA) acomete também 15% dos casais saudáveis.

É importante ressaltar, que a infertilidade é constatada quando após um ano de tentativas não se obtém a gravidez. No entanto, quem quer ser pai ou mãe não precisa aguardar todo esse tempo para começar a investigar o problema.

Primeiramente, é importante realizar uma consulta, pois ela pode identificar situações que merecem ser tratadas. E como resultado, vivenciar esse desejo de uma maneira mais tranquila.

No caso da varicocele, principal causa de infertilidade masculina, por exemplo, 80% dos homens não apresentam sintomas e apenas 15% percebem algum desconforto ou aumento no volume do testículo.

Em conclusão, a prevenção é sempre a melhor opção quando falamos em saúde e fertilidade.

O Centro de Reprodução Humana de Piracicaba está instalado no Hospital Santa Isabel, graças a uma parceria com a Santa Casa de Piracicaba.

Jornalista responsável: Arlete Maria Antunes de Moraes. MTB 0084412/SP.

Gustavo de Mendonça Borges
Gustavo de Mendonça Borges

Gustavo de Mendonça Borges

Urologista | CRM/SP 94.121
  • Formado pela Faculdade de Ciências Médicas Unicamp
  • Pós-graduado em reprodução assistida
  • Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia
Saiba mais