10 de março de 2020

Consumo de álcool na gravidez é perigoso

Gestantes e mulheres que estão tentando engravidar devem abolir o consumo de bebida alcoólica durante o período e após o nascimento do bebê, enquanto estiver amamentando. A orientação é do ginecologista e obstetra Ernesto Valvano, da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba.

“A ingestão de álcool na gravidez pode provocar a Síndrome Alcoólica Fetal, que acarreta malformações no bebê”, afirma Valvano. Não há nível seguro de consumo de álcool para a gestante.

A síndrome alcoólica fetal é a principal causa não hereditária de deficiência mental. É um conjunto de manifestações clínicas que pode incluir malformação facial, desordens de comportamento e comprometimento em diferentes órgãos, aparelhos e sistemas, principalmente no nervoso central. Não tem cura.

A Sociedade Brasileira de Pediatria também não recomenda o uso de bebida alcoólica pela mãe durante a amamentação. “Embora haja poucos estudos sobre o tema, algumas pesquisas apontam que o álcool ingerido indiretamente pelo bebê, através do leite materno, pode provocar problemas cognitivos”, afirma Valvano.

Para garantir a saúde da mãe e a do bebê, o médico orienta as gestantes a mudanças de hábitos, eliminando, além do álcool, o consumo de cigarro, a ingestão de cafeína, e a prática de dietas restritivas tanto durante toda a gravidez quanto no período de amamentação. “O tabagismo pode levar a má nutrição fetal, provocando a restrição do crescimento intrauterino do feto, maior risco de prematuridade e baixo peso ao nascer”, acrescenta.

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação

 
Dr. Ernesto Valvano
Dr. Ernesto Valvano

Dr. Ernesto Valvano

Ginecologista | CRM/SP 48.716
  • Formado pela Faculdade de Medicina São José do Rio Preto
  • Especialista em ginecologia obstetrícia
  • Pós-graduado em Reprodução Humana Assistida
Saiba mais