3 de dezembro de 2019

Mulheres com IOP precisam de tratamento para engravidar

Quando antes dos 40 anos os ovários deixam de realizar suas funções, ou seja, deixam de produzir hormônios e não liberam mais óvulos, temos um quadro chamado de Insuficiência Ovariana Prematura (IOP). Pelo fato de não ovularem mais, as mulheres que desejam engravidar precisam se submeter a tratamento de Reprodução Assistida, com indicação de fertilização in vitro, com doação de óvulos.

De acordo com o médico Ernesto Valvano, da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba instalado no Hospital Santa Isabel, graças a uma parceria com a Santa Casa de Piracicaba, suspeita-se do quadro quando os exames mostram níveis elevados do hormônio FSH e há irregularidade ou ausência de ciclos menstruais antes dos 40 anos de idade.

Muitos dos sintomas, segundo Valvano, estão ligados principalmente à deficiência hormonal ovariana, como a deficiência de estrógeno (ausência ou baixo estrogênio no sangue), uma vez que os hormônios sexuais exercem diversas ações no organismo feminino. Daí a ocorrência de ressecamento vaginal, ondas de calor, insônia, propensão para vaginites e cistite, diminuição da libido, tristeza e alteração de humor.

Com o passar do tempo, os riscos da diminuição estrogênica podem incluir doenças cardiovasculares, transtornos de humor e osteoporose.

Em 80-90% das vezes não é encontrada uma causa para o problema, sendo considerada idiopática. Outras causas incluem genética, propensão familiar, doenças autoimunes (aquelas em que o corpo produz anticorpos contra ele mesmo), infecções virais (rubéola, caxumba, varicela). Cirurgias, como a retirada dos ovários em decorrência de alguma doença maligna, quimioterapia e radioterapia, também estão na lista de causas.

A IOP, segundo Valvano, pode ser diagnosticada por meio de testes hormonais, entre eles a dosagem do FSH e do Hormônio Anti-Mülleriano.

Não existe tratamento que reverta a insuficiência ovariana prematura, depois de instalada, e as terapias hormonais (estrogênios) e não hormonais são usadas para tratar os sintomas. O mais indicado é consultar um médico para que ele indique as melhores formas, de acordo com cada caso.

“É muito importante ter cuidado com doenças que possam causar danos ovarianos. Ao notar alguns dos sintomas, o melhor é procurar um médico”, recomenda Valvano.

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação

Dr. Ernesto Valvano
Dr. Ernesto Valvano

Dr. Ernesto Valvano

Ginecologista | CRM/SP 48.716
  • Formado pela Faculdade de Medicina São José do Rio Preto
  • Especialista em ginecologia obstetrícia
  • Pós-graduado em Reprodução Humana Assistida
Saiba mais