26 de novembro de 2019

Homem deve consultar urologista todos os anos

A partir dos 45 anos, os homens devem consultar anualmente um urologista e fazer os exames preventivos. Isso porque o câncer de próstata raramente apresenta sintomas nas fases iniciais. “É um dos tumores mais ingratos e traiçoeiros e geralmente quando o paciente começa a ter queixas é porque a doença já se alastrou e invadiu outros órgãos, como bexiga, ossos e pulmão”, alerta o urologista Gustavo Borges, da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba. O Inca (Instituto Nacional do Câncer) estima 68.220 casos novos de câncer de próstata para 2019 no Brasil.

Por isso, a clínica apoia e divulga o movimento Novembro Azul, para mostrar a importância do diagnóstico do câncer de próstata, fundamental para aumentar a chance de cura, e também diminuir o preconceito masculino com o exame de toque. Quando o diagnóstico é feito de forma precoce, o câncer de próstata tem 90% de chance de cura.

Para que isso ocorra, Borges orienta os homens para que façam anualmente o exame de sangue que mede a quantidade do PSA (antígeno prostático específico), uma proteína produzida pela próstata, e o exame de toque. “Um exame não exclui o outro”, destaca.

De acordo com o urologista, o exame de sangue que mede o PSA consegue fazer o diagnóstico de 85% dos casos de câncer de próstata. Em 15% dos tumores, as alterações não são identificadas por este exame. “Por isso, um exame complementa o outro e com os dois juntos, a falha no diagnóstico é de menos de 1%”, declara.

Quando há dúvidas nestes exames, o urologista solicita investigações adicionais, com ressonância magnética e ultrassom de próstata, que auxiliam a verificar quais pacientes precisam de biópsia.

Em estágios mais avançados, Borges relata que o paciente com câncer de próstata pode apresentar sintomas como sangramento, dor ou dificuldade para urinar, e, às vezes, presença de sangue no sêmen.

A Sociedade Brasileira de Urologia orienta que homens a partir de 50 anos façam anualmente os exames preventivos. A consulta deve ser antecipada para os 45 anos caso o paciente tenha histórico familiar. Borges defende que esta rotina seja antecipada. “Cada vez mais verificamos a existência de tumores em pacientes mais jovens. Pelos novos estudos, 45 anos já seria um bom limite para iniciar os exames e 40 anos para quem tem histórico na família. O exame deve ser feito todos os anos”, diz.

Quais as causas da doença?
Não existe uma causa específica para a doença e todo homem pode ter câncer de próstata, segundo Borges. Alguns fatores contribuem para a incidência, como histórico familiar, obesidade, sedentarismo, hábitos alimentares inadequados e idade.

O tratamento cirúrgico, com retirada completa da próstata, é, em geral, segundo o médico, o que produz os mais altos índices de cura. Alguns casos podem ser tratados com radioterapia.

Pacientes já com a doença avançada, fora da próstata, com metástases ósseas, pulmonares, podem ser tratados com quimioterapia e, em alguns casos, hormonioterapia, que é a privação de testosterona.

Como prevenir?
Para prevenir o câncer de próstata, Borges destaca a importância de cuidar da saúde, manter ritmo regular de atividade física, manter o peso, não ingerir quantidades grandes de gordura e tomar sol de boa qualidade todos os dias.

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação

Dr. Gustavo Mendonça Borges
Dr. Gustavo Mendonça Borges

Dr. Gustavo Mendonça Borges

Urologista | CRM/SP 94.121
  • Formado pela Faculdade de Ciências Médicas Unicamp
  • Pós-graduado em reprodução assistida
  • Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia
Saiba mais