25 de junho de 2019

Nossa equipe no Summit Endometriose Brasil 2019

A necessidade de oferecer atendimento multidisciplinar cada vez mais qualificado e garantir qualidade de vida às pacientes com endometriose reuniu um grupo de 140 médicos no Summit Endometriose Brasil 2019, realizado no dia 13 de junho em São Paulo. O ginecologista Paulo Padovani representou o Centro de Reprodução Humana de Piracicaba no encontro, que viabilizou a troca de experiências sobre o tratamento da doença entre ginecologistas, urologistas e proctologistas.

Organizado pela Johnson & Johnson Medical Devices, por meio do Johnson & Johnson Institute, o encontro teve a coordenação científica dos ginecologistas Carlos Alberto Petta, Eduardo Schor e Mauricio Simões Abrão. Contou com o apoio da SBE (Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva).

Além da apresentação de casos clínicos, compartilhados com os colegas, foram abordados temas como dicas e truques na técnica cirúrgica, endometriose e infertilidade, tratamento da doença intestinal e o uso da cirurgia robótica nos casos de endometriose.

“Procuramos estar sempre atentos às inovações e práticas no tratamento da endometriose, doença que compromete a qualidade de vida, pessoal e profissional, de milhões de mulheres”, afirma o ginecologista Paulo Padovani. Ele destaca que encontros como este contribuem para que os profissionais façam diagnósticos cada vez mais precisos e definam o tratamento adequado para cada caso. “Precisamos ter a consciência de que sentir dor não é normal, de que o médico deve se compadecer e compreender a dor da paciente para que ela se sinta acolhida e preparada para enfrentar a doença, contribuindo no tratamento”, afirma.

A endometriose atinge mais de 6 milhões de brasileiras, o que representa de 10 a 15% das mulheres em idade reprodutiva, segundo dados da SBE (Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva).

A dor é a principal queixa das mulheres que têm a doença crônica, que se caracteriza pela presença de focos do endométrio (tecido que reveste o interior do útero) na musculatura uterina (endometriose interna) e fora do útero, podendo atingir o peritônio (membrana que cobre a superfície interior da parede abdominal), trompas, ovários, intestino, bexiga, e, em casos menos comuns, até pulmão e nariz (endometriose externa).

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação