8 de abril de 2019

Quem quer ter filhos precisa cuidar da saúde

Manter hábitos saudáveis de alimentação, praticar esportes, evitar drogas lícitas e ilícitas são itens fundamentais para homens e mulheres que desejam, em algum momento da vida, ter filhos. Esta é a orientação da ginecologista Milena Elisa Goes Dias Silva, da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba, aos pacientes no mês marcado pelo Dia Mundial da Saúde (7 de abril).

“O ideal, para preservar a fertilidade, é ter uma dieta saudável e bons hábitos”, afirma a ginecologista. “Dietas exageradas podem afetar a fertilidade, assim como o sedentarismo e alta ingestão calórica e de gordura”, completa.

Estudos apontam que o sobrepeso e a obesidade interferem na capacidade reprodutiva de homens e mulheres, à medida em que afetam os ciclos hormonais. No caso da mulher, o excesso de gordura faz com que o corpo produza maior quantidade de estrógeno, levando o organismo a limitar a produção hormonal ovariana, o que reduz as chances de ovulação e gravidez. No caso dos homens, o sobrepeso afeta a produção de espermatozoides, com impactos na quantidade e na qualidade.

A fertilidade de homens e mulheres também tem ligação direta com hábitos de consumo. A cafeína, por exemplo, presente no café, chá mate e chá preto, entre outras bebidas, deve ser evitada. “Mulheres saudáveis que tomam uma ou mais xícaras de café ao dia têm chances diminuídas para conseguir uma gravidez quando comparadas àquelas que não tomam. Além disso, a cafeína aumenta a chance de abortamento espontâneo.

Em relação aos homens, existe uma forte associação entre a ingestão de cafeína e a qualidade e o número de espermatozoides produzidos”, alerta a ginecologista. O uso de drogas em qualquer fase da vida também tem impacto sobre a fertilidade. De acordo com a médica, drogas lícitas e ilícitas fazem com que homens produzam espermatozoides com dificuldade de locomoção e com morfologia alterada e com que mulheres tenham a qualidade dos óvulos comprometida, ciclo menstrual irregular e até menopausa antecipada. Segundo a ginecologista, há casos de aborto de repetição relacionados a hábitos prejudiciais, como o uso de álcool, cigarro ou outras drogas.

Atenção deve ser maior na gravidez
A atenção das mulheres deve ser redobrada na gravidez. Durante esta fase, a ginecologista Milena Goes orienta que seja adotada uma dieta saudável, para evitar o ganho excessivo de peso. “Mulheres com sobrepeso estão mais suscetíveis a desenvolver pré-eclâmpsia (hipertensão gestacional) e diabetes, além de ter parto prematuro”, informa. A médica ressalta que o consumo de álcool deve ser totalmente abolido durante toda a gestação, pois não há comprovação de qual é a dose segura. “A Síndrome Alcoólica Fetal (SAF) pode acarretar vários tipos de má-formação congênita no bebê.” Por sua vez, o tabagismo, de acordo com a ginecologista, pode levar à má nutrição fetal, provocando a restrição do crescimento intrauterino do feto, maior risco de prematuridade e baixo peso ao nascer.

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação

Dra. Milena Elisa Goes Dias Silva
Dra. Milena Elisa Goes Dias Silva

Dra. Milena Elisa Goes Dias Silva

Ginecologista | CRM/SP 141.626
  • Formada pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Pós-graduação em infertilidade e reprodução humana pela Faculdade de Ciências médicas da Santa Casa de São Paulo/Projeto Alfa
Saiba mais