2 de abril de 2019

Quando procurar uma clínica de fertilização?

Quando o casal tenta, durante um ano, engravidar e não consegue, está na hora de procurar uma clínica de fertilização. “Após este período, existe a suspeita de infertilidade e o ideal é procurar um especialista em reprodução humana”, afirma o ginecologista Paulo Padovani, do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba. A consulta deve ser antecipada quando a mulher tem 35 anos ou mais e quando já há o diagnóstico de problemas como endometriose, doenças pélvicas inflamatórias ou homens com baixa contagem de espermatozoides.

Após consulta e exames específicos, o especialista em reprodução humana indicará o tratamento adequado para cada caso. “Nem sempre o tratamento deve ser a fertilização in vitro, que é uma técnica de alta complexidade”, destaca Padovani. De acordo com o médico, muitos problemas podem ser contornados com terapias simples, de baixa complexidade, como coito programado e inseminação intrauterina. “Tudo vai depender dos resultados dos exames, tanto da mulher quanto do homem”, diz.

O ginecologista explica como são feitos e para quem é indicado cada tratamento. No coito programado, o médico acompanha o ciclo menstrual da mulher, monitora a ovulação e estimula os ovários, para aumentar a precisão do dia fértil. Com base nos dados, orienta o casal sobre a data ideal para manter relações sexuais. É indicado quando a mulher apresenta infertilidade por problemas de ovulação e o homem tem sêmen normal.

A inseminação artificial ou intrauterina é feita pela injeção do sêmen processado dentro do útero da mulher. No procedimento, a ovulação é induzida por hormônio e o médico programa o dia e horário em que irá provavelmente ocorrer. No dia estipulado, o homem vai ao laboratório e colhe sêmen, que, após preparo, é colocado no útero. É indicada quando o homem tem uma alteração de leve a moderada dos espermatozoides ou quando a mulher apresenta problemas mais simples, como endometriose leve.

Para quem é indicada a fertilização in vitro?

A fertilização in vitro é indicada apenas para casais com problemas graves que levam à infertilidade, como alterações tubárias, endometriose, baixa qualidade dos óvulos e alteração importante dos espermatozoides. Também é uma alternativa para homens que fizeram vasectomia e para mulheres que fizeram laqueadura.

No tratamento, são utilizados medicamentos para estimular o crescimento de vários folículos (estrutura que tem os óvulos dentro). Quando os folículos atingem o tamanho ideal, a paciente recebe uma injeção que induz a ovular. Uma hora antes de ocorrer a ovulação, recebe anestesia geral de curta duração e, via ultrassom transvaginal, o ovário é puncionado e são coletados os óvulos. Os óvulos e os espermatozoides, também coletados, são fertilizados in vitro no laboratório. O embrião formado é transferido para o útero.

Dr. Paulo Arthur Machado Padovani
Dr. Paulo Arthur Machado Padovani

Dr. Paulo Arthur Machado Padovani

Ginecologista | CRM 39.536
  • Formado pela Faculdade de Medicina de Jundiaí
  • Pós-graduado lato-sensu pela Faculdade de Medicina de Jundiaí e Associação Instituto Sapientiae
  • Especialista em ginecologia e obstetrícia, e habilitação em laparoscopia
  • Membro efetivo da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida
  • Possui título de Capacitação em Reprodução Assistida emitido pela Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida
Saiba mais