30 de novembro de 2018

Homens e mulheres com câncer devem preservar a fertilidade

Homens e mulheres com câncer que estão em idade fértil devem preservar a fertilidade. “Logo que seja feito o diagnóstico da doença, é importante que os pacientes que ainda desejam ter filhos recebam orientação do oncologista, em conjunto com um especialista em reprodução humana, sobre a possibilidade do congelamento de óvulos, sêmen ou embriões”, afirma o ginecologista Ernesto Valvano, da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba, instalado no Hospital Santa Isabel, graças a uma parceria com a Santa Casa de Piracicaba.

O médico explica que a radioterapia e a quimioterapia para o tratamento de diversos tipos de câncer podem provocar alterações importantes na fertilidade ou até esterilidade tanto no homem quanto na mulher. “Por isso, a importância de que a coleta de óvulos ou de sêmen para ser congelado seja feita antes do início do tratamento”, afirma.

Ele informa que o tempo entre o diagnóstico e o início do tratamento da doença costuma ser suficiente para realizar a coleta das células germinativas e detalha como é feita a preservação da fertilidade. “No caso da mulher com câncer, a fertilidade pode ser preservada por meio do congelamento de óvulos. Quando a paciente estiver curada e quiser tentar uma gravidez, os óvulos serão descongelados e fertilizados in vitro. Nos homens com câncer, a preservação é feita pelo congelamento de sêmen, que será descongelado quando o paciente quiser tentar ter filhos.”

“Quando os casais têm união estável, orientamos que seja feito o congelamento de embriões, que têm melhores resultados”, destaca Valvano. “A chance de conseguir uma gravidez é maior congelando embriões do que congelando os óvulos ou sêmen. Quando coletamos óvulos ou sêmen, estamos congelando uma única célula, que pode não sobreviver no processo de congelamento/ descongelamento. Os embriões têm normalmente, no terceiro dia, oito células e, se no processo de congelamento/descongelamento, perde até quatro células, ainda é considerado um embrião viável”, explica.

O ginecologista deixa claro que quando não há a opção de congelar embriões antes do tratamento de câncer, a orientação é para que se congele óvulos ou sêmen. Nestas situações, quando o homem ou a mulher decidir que é o momento de ter filhos, a célula germinativa é descongelada e utilizada em tratamentos de reprodução assistida. “Geralmente utilizamos a técnica Fertilização in vitro com ICSI (injeção intracitoplasmática de espermatozoides), que oferece melhores resultados do que a fertilização in vitro convencional”, declara Valvano.

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação

Dr. Ernesto Valvano
Dr. Ernesto Valvano

Dr. Ernesto Valvano

Ginecologista | CRM/SP 48.716
  • Formado pela Faculdade de Medicina São José do Rio Preto
  • Especialista em ginecologia obstetrícia
  • Pós-graduado em Reprodução Humana Assistida
Saiba mais