21 de novembro de 2018

Homem deve fazer exames periódicos com urologista

A Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que homens a partir de 50 anos procurem um urologista para fazer os exames periódicos. Aqueles da raça negra ou com parentes de primeiro grau (pai, irmão, tio) com câncer de próstata devem começar aos 45 anos. “O cuidado deve ser tomado porque o câncer de próstata não apresenta sintomas no início e, se diagnosticado nesta fase, tem mais de 90% de chance de cura”, afirma o urologista Gustavo Borges, do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba.

O médico explica que o urologista solicitará o exame de sangue que mede a quantidade do PSA (antígeno prostático específico), uma proteína produzida pela próstata, e fará o exame de toque. “Um exame não exclui o outro e é importante que o paciente faça os dois”, afirma. Caso os resultados apresentem alterações, será solicitada biópsia.

Em caso de confirmação do câncer, o urologista reforça a necessidade de que o paciente em idade reprodutiva seja orientado, pelo oncologista, em conjunto com especialista em reprodução humana, sobre a possibilidade de preservar a fertilidade, com o congelamento de sêmen. O procedimento deve ser feito antes da cirurgia e antes do início do tratamento de quimioterapia ou radioterapia.

#NovembroAzul

O movimento Novembro Azul, de conscientização sobre a importância da detecção precoce do câncer de próstata, surgiu no Brasil em 2012, com o objetivo de diminuir o preconceito masculino com os exames que detectam o câncer de próstata, especialmente o exame de toque.

Dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer) revelam que a cada hora, sete homens recebem o diagnóstico de câncer de próstata no Brasil. Para este ano, a estimativa é de 68.220 novos casos. O câncer de próstata fica atrás apenas do câncer de pele (não melanoma) entre os homens, e ainda mata cerca de 20% dos pacientes.

O Centro de Reprodução Humana de Piracicaba participa do movimento Novembro Azul e divulga a importância da preservação da fertilidade dos pacientes com câncer, por meio do congelamento de sêmen.

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação

Dr. Gustavo Mendonça Borges
Dr. Gustavo Mendonça Borges

Dr. Gustavo Mendonça Borges

Urologista | CRM/SP 94.121
  • Formado pela Faculdade de Ciências Médicas Unicamp
  • Pós-graduado em reprodução assistida
  • Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia
Saiba mais