26 de outubro de 2018

Projeto Realize dedica atenção especial às mulheres com câncer

O Projeto Realize atende, em especial, mulheres com câncer, que precisam preservar a fertilidade antes de iniciar os tratamentos de quimioterapia e/ou radioterapia. Durante o Outubro Rosa, o Centro de Reprodução Humana de Piracicaba divulga a modalidade e reforça a importância de que pacientes com câncer em idade fértil tenham acesso ao congelamento de óvulos.

Desenvolvido pelo Centro de Reprodução Humana de Piracicaba, o Projeto Realize tem como objetivo oferecer tratamento de alta complexidade, como fertilização in vitro e congelamento de óvulos, com custo reduzido, calculado de acordo com o perfil social das pacientes.

 “Ao inserir o congelamento de óvulos no Projeto Realize, pensamos na qualidade de vida das mulheres que, após vencerem o câncer, querem tentar realizar o desejo de ser mãe”, declaram os médicos Ernesto Valvano e Paulo Padovani, da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba.

O avanço da medicina permite a superação da doença, principalmente nos casos do câncer de mama que, se diagnosticado na fase inicial, tem 95% de chances de cura.

De acordo com os médicos, a quimioterapia e a radioterapia, que servem para destruir as células malignas e eliminar o câncer, podem fazer com que exista a perda do ciclo menstrual, além da destruição parcial ou total da reserva de óvulos, provocando a infertilidade.

Os médicos informam que o tempo entre o diagnóstico do câncer e o início do tratamento costuma ser suficiente para a coleta e o congelamento de óvulos. “O tratamento é feito conforme orientação do oncologista e do especialista em reprodução humana”, afirmam.

Como é feito o congelamento de óvulos?

Valvano e Padovani explicam que, após uma estimulação ovariana, os óvulos são coletados, congelados em nitrogênio líquido e armazenados em recipientes com isolamento térmico. Quando a mulher tiver a liberação do oncologista e quiser tentar ter filhos, os óvulos são descongelados e fertilizados in vitro por meio da ICSI, a injeção intracitoplasmática de espermatozoide. Com esta técnica, um único espermatozoide, selecionado em laboratório, é injetado dentro do óvulo utilizando uma agulha de extrema precisão. Após formado, o embrião é inserido no útero.

Outras informações sobre o Projeto Realize no site: http://crhp.com.br/contato/projeto-realize/

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação

Dr. Ernesto Valvano
Dr. Ernesto Valvano

Dr. Ernesto Valvano

Ginecologista | CRM/SP 48.716
  • Formado pela Faculdade de Medicina São José do Rio Preto
  • Especialista em ginecologia obstetrícia
  • Pós-graduado em Reprodução Humana Assistida
Saiba mais