16 de agosto de 2017

Homem que quer ser pai deve ficar atento à idade

Por muitos anos, acreditou-se que o homem não precisaria ficar atento ao relógio biológico e poderia ser pai em qualquer idade. Estudos científicos divulgados recentemente mostram que a realidade não é bem esta. “O homem que quer ser pai deve ficar atento à idade, já que vários parâmetros de qualidade da produção dos espermatozoides vão caindo progressivamente, principalmente após os 40 anos”, afirma o urologista Gustavo Borges, da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba, instalado há nove anos na cidade graças a uma parceria com a Santa Casa de Piracicaba.

“A produção de espermatozoides é contínua, mas homens mais velhos têm mais riscos de ter filho com problemas, como autismo, ou de suas parceiras terem abortamento precoce por alterações na formação do embrião”, afirma.

Além disso, o urologista alerta para o resultado de pesquisas recentes, apontando que a idade interfere na fertilidade do homem. Estudo divulgado este ano na 33ª Reunião Anual da Sociedade Europeia de Reprodução Humana e Embriologia mostrou que a idade do parceiro influencia, de forma significativa, o sucesso dos tratamentos. “Principalmente no grupo de mulheres com menos de 40 anos, os resultados de taxas de gravidez diminuem conforme a idade do parceiro”, relata.

Liderado por Laura Dodge, do Centro Médico Diaconisa Beth Israel e da Escola de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos, o estudo analisou, entre 2000 e 2014, mais de 19 mil ciclos de fertilização in vitro em 7.753 casais.

Para mulheres com idade de 30 a 35 anos, ter um parceiro mais velho do que elas foi associado a um decréscimo de aproximadamente 11% na taxa cumulativa, de 70% para 64%, quando comparadas com ter um parceiro na mesma faixa etária.

PRODUÇÃO DE ESPERMATOZOIDES

Diferente das mulheres, que nascem com todos e vão perdendo os óvulos no decorrer da vida, a produção de espermatozoides é contínua. Começa na puberdade e continua até o final da vida do homem. Um homem saudável produz entre 100 milhões e 200 milhões de espermatozoides diariamente.

“Com o passar da idade, principalmente após os 40 anos, o homem tem maior probabilidade de desenvolver alterações na quantidade e na qualidade dos espermatozoides”, explica Gustavo Borges. Por isso, o médico aconselha que os homens mais velhos que desejam ser pai passem por consulta prévia com um urologista.

Além da idade, Borges cita outros fatores que contribuem para a queda na produção e qualidade do sêmen, como obesidade, estresse, consumo de drogas lícitas e ilícitas, alimentação deficiente e sedentarismo.

“Pesquisas feitas na área demonstram que a obesidade e o sobrepeso podem provocar uma diminuição no número de espermatozoides”, afirma. O urologista explica que a obesidade pode estar relacionada com a produção anômala de alguns hormônios, o que pode causar impactos em todo o organismo, incluindo o sistema reprodutivo.

Estudo apresentado em congresso da Sociedade Europeia de Reprodução Humana demonstrou que obesos apresentam uma concentração de espermatozoides por ml em média cerca de 8 milhões a menos do que o homem com peso normal. No mesmo encontro, foi apresentada pesquisa da Universidade de Catania, na Itália, mostrando que homens com sobrepeso e obesos têm esperma com qualidade inferior: os espermatozoides são mais lentos e apresentam alterações na morfologia.

Foto: Bolly Vieira

 

Gustavo de Mendonça Borges
Gustavo de Mendonça Borges

Gustavo de Mendonça Borges

Urologista | CRM/SP 94.121
  • Formado pela Faculdade de Ciências Médicas Unicamp
  • Pós-graduado em reprodução assistida
  • Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia
Saiba mais