6 de abril de 2017

Meninos devem ser vacinados contra o HPV?

O Ministério da Saúde estendeu, este ano, a vacinação gratuita contra o HPV, o vírus do papiloma humano, para meninos de 12 e 13 anos. Os meninos devem ser vacinados?

O urologista Gustavo Borges, da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba, destaca a importância da vacinação para proteger a saúde e preservar a fertilidade.

“Quando a vacinação foi disponibilizada para meninas, a sociedade brasileira de urologia já era a favor da extensão para meninos”, relata o urologista. “a vacinação nos meninos reduz os riscos de verrugas genitais e orais, além dos cânceres de pênis, garganta e ânus, doenças que estão diretamente relacionadas ao HPV”, declara.

O urologista destaca que pesquisas recentes também apontam relação entre HPV e infertilidade. Estudo de pesquisadores italianos, publicado na revista da American Society of Andrology, mostra que o vírus também pode atrapalhar a fertilidade masculina. Os cientistas concluíram que homens que possuem o HPV em seu sêmen têm maior probabilidade de desenvolver alterações seminais relacionadas à morfologia e motilidade dos espermatozoides.

“A vacinação é a única forma de prevenção, já que muitos portadores de HPV não possuem sinais ou sintomas e podem transmitir o vírus”, alerta o médico. o HPV pode ser transmitido mesmo com a utilização de preservativo, pois pode estar presente em outras partes do corpo não protegidas pela camisinha, como as mucosas.

VACINAÇÃO

O esquema vacinal contra o HPV para meninos de 12 e 13 anos é de duas doses, com seis meses de intervalo. Há também esquemas de três doses, segundo Borges.

De acordo com o Ministério da Saúde, a decisão de ampliar a vacinação para o sexo masculino está de acordo com as recomendações das Sociedades Brasileiras de Pediatria, Imunologia, Obstetrícia e Ginecologia, além de DST/AIDS e do mais importante órgão consultivo de imunização dos Estados Unidos (Advisory Committee on Imunization Practices). A definição da faixa etária para a vacinação visa proteger as crianças antes do início da vida sexual e, portanto, antes do contato com o vírus, segundo informações divulgadas pelo Ministério.

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação

Gustavo de Mendonça Borges
Gustavo de Mendonça Borges

Gustavo de Mendonça Borges

Urologista | CRM/SP 94.121
  • Formado pela Faculdade de Ciências Médicas Unicamp
  • Pós-graduado em reprodução assistida
  • Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia
Saiba mais