3 de junho de 2016

Como funciona a doação de óvulos?

A doação de óvulos deve seguir as diretrizes do Conselho Federal de Medicina. O tratamento é indicado para mulheres que não possuem os ovários ou estes não contêm óvulos. Em alguns casos como de mulheres com idade avançada, após quimioterapia ou radioterapia, podem existir óvulos, mas a qualidade não ser boa. As informações são do ginecologista Ernesto Valvano, da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba, que está capacitada para orientar pacientes sobre a ovodoação.

“No Brasil, a ovodoação é obrigatoriamente anônima. Nem a doadora nem a receptora sabem da identidade uma da outra”, afirma Valvano. “No nosso país, também não é permitida transação comercial nesse tipo de tratamento. A doação deve ser voluntária e sem fins lucrativos”, declara o médico.

“É permitida a doação compartilhada, isto é, uma mulher em tratamento para engravidar pode doar parte dos seus óvulos para outra mulher, em troca do custeio de parte do tratamento”, acrescenta.

Valvano explica que neste tratamento, os óvulos doados são fertilizados com os espermatozoides do parceiro da receptora. Após a formação dos embriões, estes são transferidos para o útero da mesma.

O que diz o Conselho Federal de Medicina

1- A doação não poderá ter caráter lucrativo ou comercial.

2- Os doadores não devem conhecer a identidade dos receptores e vice-versa.

3- A idade limite para a doação de gametas é de 35 anos para a mulher e de 50 anos para o homem.

4- Será mantido, obrigatoriamente, o sigilo sobre a identidade dos doadores de gametas e embriões, bem como dos receptores.

5- As clínicas, centros ou serviços onde é feita a doação devem manter, de forma permanente, um registro com dados clínicos de caráter geral, características fenotípicas e uma amostra de material celular dos doadores, de acordo com legislação vigente. (Fonte: CFM nº 2.121/2015)

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação

DR. ERNESTO VALVANO
Ginecologista | CRM/SP 48.716

• Formado pela Faculdade de Medicina São José do Rio Preto
• Especialista em ginecologia obstetrícia
• Pós-graduado em Reprodução Humana