25 de abril de 2016

Centro de Reprodução Humana de Piracicaba indica vacina contra H1N1

Pacientes que estão tentando uma gravidez, estão grávidas ou que tenham tido bebê há menos de 45 dias devem tomar a vacina contra o vírus influenza H1N1. A recomendação é da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba.

O diretor do Centro de Reprodução Humana, Paulo Padovani, informa que as gestantes são mais vulneráveis às gripes e devem tomar alguns cuidados. “Há pesquisas no mundo inteiro sobre o tema e entre os possíveis fatores estão a redução da imunidade entre essas mulheres e a diminuição da capacidade pulmonar, principalmente nos três últimos meses da gestação”, declara. O médico ressalta que este não deve ser motivo para pânico, mas para precaução.

As gestantes podem tomar a vacina gratuitamente nos postos de saúde a partir de 30 de abril. O efeito protetor da dose demora de duas a três semanas. É importante destacar que mesmo quem tomou a vacina no ano passado deve se imunizar novamente este ano.

Nas clínicas particulares, há dois tipos de vacina disponíveis, a trivalente, que protege contra 2 vírus da influenza A e 1 vírus da influenza B, e a tetravalente, que protege contra 2 vírus da influenza A e 2 da B. Para proteger contra a H1N1, a vacina trivalente, disponível na rede pública, é eficiente.

“A vacina da gripe é fabricada a partir de um vírus inativo, que não provoca infecção mas, sim, imunidade. Não causa, portanto, os sintomas da doença”, esclarece Paulo Padovani.

Segundo o médico, é importante destacar que quem estiver doente e com febre deve esperar os sintomas passarem para, então, receberem a dose da vacina. “Se a paciente tiver alergia a ovos ou tiver tido uma severa reação alérgica à vacina da gripe comum, é essencial que converse com seu médico antes da vacinação”.

COMO PREVENIR

Além da vacina, que não tem 100% de eficácia, é preciso que as pessoas, de forma geral, adotem alguns hábitos que ajudam a evitar a H1N1 e outras gripes tão comuns neste período de Outono-Inverno. Lavar sempre as mãos com sabão ou álcool, evitar levar as mãos aos olhos, nariz e boca, lembrando que a gripe pode ser contraída quando se inala secreções do doente ao falar, espirrar ou tossir e quando há contato com superfícies infectadas, como mesas, maçanetas ou talheres. Também é aconselhável evitar locais fechados e de grandes aglomerações.

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação

DR. PAULO ARTHUR MACHADO PADOVANI
Ginecologista | CRM 39.536

• Formado pela Faculdade de Medicina de Jundiaí
• Pós-graduado lato-sensu pela Faculdade de Medicina de Jundiaí e Associação Instituto Sapientiae
• Especialista em ginecologia e obstetrícia, e habilitação em laparoscopia
• Membro efetivo da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida
• Possui título de Capacitação em Reprodução Assistida emitido pela Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida