5 de fevereiro de 2016

Centro de Reprodução orienta sobre prevenção ao Zika Vírus

O registro de casos de Zika Vírus na região não é motivo de pânico para quem está grávida ou para casais que fazem tratamento para ter filhos. O alerta é do ginecologista Paulo Padovani, diretor do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba. Ele destaca que o momento é de cuidados redobrados para prevenir a doença.

 “As grávidas devem utilizar roupas leves que protejam ao máximo a pele e passar repelentes de boa qualidade”, declara Padovani. Segundo ele, os mais indicados são aqueles à base de “Icaridina”, nome comercial “Exposis”. Também podem ser utilizados o “DEET”, nome comercial “Off Repelex®”, (concentração de 15%) e o “IR3535”, nome comercial “Loção antimosquito Johnson®”. “O ideal é que a gestante procure seu médico, que vai definir o melhor produto e a forma de aplicação”, destaca o profissional.

Se as roupas forem de tecido fino, o ideal, de acordo com o médico, é utilizar também o repelente, em forma de spray, por cima das mesmas.

“Os repelentes que funcionam quando são ligados na tomada podem ser utilizados desde que estejam a mais de dois metros da gestante”, orienta.

A equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba está preparada para esclarecer outras dúvidas das pacientes grávidas sobre a prevenção ao Zika Vírus.

CUIDADO REDOBRADO – A melhor forma de evitar as doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti, como a Zika, dengue e Chikungunya, é controlar a proliferação do mosquito. O Centro de Reprodução Humana de Piracicaba selecionou alguns cuidados a serem tomados.

– Retire o excesso de água dos vasos com plantas e evite acumular garrafas, copos e pneus no quintal;

– Limpe periodicamente o reservatório de água da geladeira (comum em modelos frost free) e a bandeja externa do ar condicionado, que também acumulam água;

– Coloque em sacos plásticos, feche e coloque no lixo copos descartáveis, embalagens, tampas, cascas de ovo e tudo que possa acumular água;

– Limpe a piscina com frequência e cubra a mesma quando não estiver em uso;

-Lave com bucha, sabão e água corrente os vasilhames de alimentação de animais;

– Feche as janelas pela manhã e ao entardecer – horários em que o mosquito ataca – e use telas (mosquiteiros com inseticida).

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal/Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação

DR. PAULO ARTHUR MACHADO PADOVANI
Ginecologista | CRM 39.536

• Formado pela Faculdade de Medicina de Jundiaí
• Pós-graduado lato-sensu pela Faculdade de Medicina de Jundiaí e Associação Instituto Sapientiae
• Especialista em ginecologia e obstetrícia, e habilitação em laparoscopia
• Membro efetivo da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida
• Possui título de Capacitação em Reprodução Assistida emitido pela Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida