27 de agosto de 2015

Fertilização in Vitro auxilia casais que desejam ter filhos

Problemas graves que levam à infertilidade ficaram para o passado na vida das mulheres que desejam ser mãe. A fertilização in vitro, também conhecida como bebê de proveta, é a alternativa para as pacientes com alterações tubárias, endometriose e baixa qualidade dos óvulos. As informações são do ginecologista Paulo Padovani, da equipe do Centro de Reprodução Humana de Piracicaba.

O especialista esclarece que o tratamento também pode ser a solução para o casal quando o homem apresenta alteração importante dos espermatozoides.

“A fertilização in vitro é um tratamento de alta tecnologia em reprodução humana”, afirma Paulo Padovani, explicando que a paciente é induzida, com estímulo de medicação, a ovular. “Horas antes de ocorrer a ovulação, a mulher recebe anestesia geral de curta duração e, por via transvaginal, o ovário é puncionado e são coletados os folículos”, relata.No laboratório, o embriologista seleciona os óvulos e, pela aparência, decide qual é o grau de maturação. Daí em diante, o ginecologista explica que há dois procedimentos possíveis: no primeiro, os óvulos e os espermatozoides, também coletados em laboratório, são colocados num meio de cultura para que a natureza se encarregue da fertilização que está sendo in vitro, ou seja, fora do corpo da mulher. Nesse caso, os espermatozoides vão competir entre si e o que chegar antes fecundará o óvulo.

“Quando o homem possui um número muito pequeno de espermatozoides ou eles têm pouca vitalidade, não se pode correr o risco de esperar que a fecundação ocorra num meio de cultura. Neste caso, utilizamos a injeção intracitoplasmática do espermatozoide. Por meio de um micromanipulador, coleta-se o espermatozoide, que será injetado dentro do óvulo à força”, esclarece Padovani.

Em todos os procedimentos realizados no Centro de Reprodução Humana de Piracicaba, instalado no 5º andar da Santa Casa de Piracicaba, são seguidas as determinações da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Jornalistas responsáveis: Flávia Paschoal e Marisa Massiarelli Setto – Toda Mídia Comunicação

DR. PAULO ARTHUR MACHADO PADOVANI
Ginecologista | CRM 39.536

• Formado pela Faculdade de Medicina de Jundiaí
• Pós-graduado lato-sensu pela Faculdade de Medicina de Jundiaí e Associação Instituto Sapientiae
• Especialista em ginecologia e obstetrícia, e habilitação em laparoscopia
• Membro efetivo da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida
• Possui título de Capacitação em Reprodução Assistida emitido pela Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida